Notícias

Uma faculdade gratuita por vez

A partir deste ano, não será mais possível frequentar ao mesmo tempo cursos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Em novembro de 2009, o presidente Lula sancionou a Lei 12.089, que proíbe estudantes de cursarem duas instituições públicas de ensino superior – municipal, estadual ou federal.

UFSC, Udesc, IF-SC ou UFFS? Em 2010, uma lei federal obriga o estudante a cursar uma única instituição pública. A justificativa da medida é aumentar as vagas no Ensino Superior gratuito. As universidades, ainda discutem como fiscalizar. No Estado, por enquanto, vale a palavra do aluno. Ao se matricular, ele vai assinar uma delcaração afirmando que não estudará em outra instituição pública.

A lei, proposta pelo deputado Maurício Rands (PT-PE), entrou em vigor em dezembro. Em outubro, um decreto do deputado Jorginho Mello (PSDB), editado por ele enquanto era governador em exercício, também proibiu a prática no Estado a partir deste ano. Mesmo o estudante que se inscreveu para os vestibulares da UFSC e Udesc antes de a lei ser sancionada e foi aprovado nas duas terá de optar por apenas uma delas.

A medida também atinge estudantes que pretendiam cursar em uma das duas universidades e no Instituto Federal de Santa Catarina (IF-SC), que oferece cursos superiores de tecnologia.

Alunos matriculados em duas ou mais universidades públicas antes da lei entrar em vigor poderão concluir as faculdades. A legislação proíbe, ainda, matrícula em dois cursos da mesma instituição gratuita, o que já não era permitido na UFSC e na Udesc.

No Estado, cursar na universidade estadual e na federal ao mesmo tempo era uma prática comum. As duas têm sede em Florianópolis e oferecem cursos em turnos diferentes.

Maioria abandona um dos cursos
A criação da Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS), que tem campus em Chapecó, no Oeste, também poderia ocorrer de um estudante fazer uma graduação lá e outra na Udesc, que também tem sede na cidade. Não há levantamento, nem da UFSC, nem da Udesc, de quantos alunos estudam nas duas ao mesmo tempo.

Rands justifica que não existem vagas ilimitadas no ensino superior gratuito e que o Estado pode estabelecer critérios para distribuí-las. Para ele, a lei não impede que um estudante dedicado faça dois cursos, porque dá oportunidade para que outro, não menos empenhado, estude. O deputado argumenta ainda que mais de 90% dos alunos que passaram em dois cursos acabam abandonando um deles.

Na UFSC, são 576 matrículas trancadas, que ainda não podem ser usadas para transferência, de acordo com o vice-presidente do Departamento de Administração Escolar, Luiz Carlos Siridakis. Os estudantes têm dois anos para voltar à graduação, depois do prazo fica caracterizado abandono de curso. Em outubro do ano passado, a UFSC abriu 784 vagas para transferências. A universidade oferece cerca de 5 mil vagas por vestibular. Na Udesc, foram abertas 1.024 transferências. No último vestibular, a universidade abriu 1,5 mil vagas.

Manchete

Diário Catarinense
http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2802530.xml&template=3898.dwt&edition=14069§ion=846


Postado

8.fevereiro | 2010


Imprimir


Compartilhar


Filiar-se

Newsletter

(48) 99944.0103 (WhatsApp)
(48) 3234.2844 e 3234.5216 (Max & Flora)
(48) 3721.9425 e 3234.3187 (Campus Trindade)
(47) 99925-1735 (Joinville)
(49) 3241.4181 (Curitibanos)
(48) 3524.0228 (Araranguá)
(47) 3234.1866 (Blumenau)

 

© APUFSC Sindical

Designed & Created by: Hupx Tecnologia Powered by: Dynamicweb