Notícias

Professores das redes pública e privada vão parar nesta sexta-feira, 14

Em São Paulo, além dos professores, participam da Greve Geral trabalhadores do transporte, construção civil, metalúrgicos e bancários  
 
A Apeoesp, que representa os professores de escolas estaduais, e o Sinpeem, dos professores municipais, confirmaram que a orientação é pela paralisação, informa a Folha de São Paulo.
A diretora do Sindicato de Escolas Particulares de São Paulo(Sinpro-SP),  Silvia Barbara, afirma 30 colégios já confirmaram que não haverá aula, a maior parte deles de grande porte.

Silvia Barbara diz que, além de protestar contra as propostas da reforma, os professores também vão se manifestar contra os cortes na educação e ao modo como o MEC vem sendo conduzido.
"A reforma prejudica direitos constitucionais dos professores, mas ela é tão ruim que não adianta criticar prejuízos à categoria específica, é preciso defender a aposentadoria de todos os trabalhadores", defende Bárbara, que se diz contra a desconstitucionalização da Previdência, prevista em artigos da reforma.

Outras categorias confirmaram que irão parar na sexta, entre elas os metalúrgicos do ABC e trabalhadores da construção civil. Na noite de terça, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região confirmou em assembleia sua adesão à greve. Wagner Santana, presidente do sindicato da categoria, que representa 60 mil trabalhadores, diz que a orientação é pela paralisação.
 
Leia mais: Folha de São Paulo



 

Manchete

Em São Paulo, além dos professores, participam da Greve Geral trabalhadores do transporte, construção civil, metalúrgicos e bancários


Postado

12.junho | 2019


Imprimir


Compartilhar


Filiar-se

Newsletter

(48) 99944.0103 (WhatsApp)
(48) 3234.2844 e 3234.5216 (Max & Flora)
(48) 3721.9425 e 3234.3187 (Campus Trindade)
(47) 99925-1735 (Joinville)
(49) 3241.4181 (Curitibanos)
(48) 3524.0228 (Araranguá)
(47) 3234.1866 (Blumenau)

 

© APUFSC Sindical

Designed & Created by: Hupx Tecnologia Powered by: Dynamicweb